Apresentação A Energia Elétrica Instalação Sem o FIEEL  Instalação Com o FIEEL Rede de Distribuição Telefonia
Iluminação Publica Perguntas Mais Frequentes Vantagens para Empresa  Economia de Energia Instalação Semáforos
 

Perguntas mais Frequentes sobre os Condicionadores FIEEL

 

 Como surgiu ?

      O desenvolvimento do FIEEL teve inicio através de contatos com indústrias de diversos ramos, clientes nossos por atuarmos nas áreas de automação e instalações elétricas industriais. Foi constatado um grande número de ocorrências originadas possivelmente pela qualidade da energia elétrica.

      Partimos estudando as teorias atuais sobre filtros de energia e muitos testes foram feitos. A procura de facilitar as instalações teorizamos o funcionamento de condicionadores em paralelo e os resultados na prática foram acima dos esperados. O que torna os Condicionadores FIEEL uma solução criativa, de baixo investimento, retorno garantido, por intervir em grande número de distúrbios e na proteção contra descargas atmosféricas.

O que é o FIEEL?

      O FIEEL consiste numa inovação em filtragem da energia elétrica, com três patentes internas é ligado em paralelo ou série (modelo monofásico para pouca corrente), onde a capacidade de drenagem de distúrbios é ampliada, o sistema é protegido para não entrar em ressonância, além disso, o filtro é capaz de balancear a energia indutiva entre as fases proporcionando um ganho em economia superior a qualquer filtro presente no mercado e criado uma proteção efetiva contra transientes (descargas atmosféricas) e principalmente é o único filtro que atua em amplo espectro de freqüências que vão deste harmônicas a interferências eletro-magnéticas.

      Quando o filtro Fieel está presente no sistema, modificações comportamentais garantem  melhor desempenho e aumento da vida útil dos equipamentos, principalmente frente a distúrbios elétricos.

  Como funciona?

      A energia elétrica presente na rede passa a ser o somatório das várias correntes (a produzida pela concessionária 60Hz, a energia residual de equipamentos eletrônicos e a captada pelos cabos de transmissão que atuam como antenas), mesmo com características distintas. A presença destas correntes parasitas ocorre de muitas formas, podendo ter sua origem externa como curtos ou raios que se movimentam a partir da rede elétrica da concessionária ou de origem interna (mais comuns) produzidas  pelos equipamentos conectados ao sistema, como inversores de frequência.

      O objetivo da filtragem é eliminar estas frequências, deixando apenas a fundamental (60Hz).  Os danos provocados ao sistema podem ser: equipamentos danificados, aumento no consumo, aquecimentos em cabos, interferências ou falhas, etc.

Como  a energia elétrica se comporta?

      Analisando através do método conceitual, observamos que os distúrbios ao serem originados, independente se a origem for externa ou interna, tendem a se movimentar em direção ao fornecimento de elétrons (haste de aterramento) através do percurso de menor resistência ou maior diferença de potencial. Ocorre que, como não existe um curto circuito entre fase e terra, o distúrbio tende a atravessar equipamentos conectados ao sistema os danificando ou diminuindo sua vida útil.

      Mesmo que a rede seja de corrente alternada os distúrbios podem apresentar características de corrente alternada ou contínua.

      Outra concepção para entendermos o fenômeno baseia-se na corrente alternada corresponder a um balanceamento constante entre a necessidade e capacidade de fornecimento de elétrons. Quando um distúrbio ocorre este desbalanceia o sistema até que sua necessidade de elétrons seja satisfeita.

O que o difere de nobreaks e estabilizadores?

      Os distúrbios na rede elétrica podem ser classificados de acordo com as características da energia elétrica. Distúrbios com a corrente, geralmente faltas temporárias no fornecimento da energia, são evitados com o uso de nobreaks. Distúrbio na tensão, como quedas ou sobre tensões são solucionados com o uso de estabilizadores ou ajustes no transformador da concessionária.

      A presença de outras correntes, com características distintas são eliminadas ou atenuadas com a utilização de Condicionadores como o FIEEL.

 

O que é Curva de Atenuação?

      É uma representação gráfica da capacidade dos filtros de absorverem energia em diferentes freqüências. O filtro ideal deveria ser uma alta resistência para 60Hz e um curto para outras freqüências, porém este filtro é fisicamente impossível.  O FIEEL foi calculado para chegar o mais próximo possível deste ideal levando em conta os componentes encontrados no mercado.

A quem se destina?

      O FIEEL foi desenvolvido inicialmente para atender as indústrias, porém, os relatos de problemas na qualidade da energia e proteção têm surgido em outros setores como o comercial e residencial. Fabricantes de máquinas e equipamentos agregam aos sistemas o Condicionador FIEEL com o objetivo de eliminar problemas de manutenção e aumentar sua vida útil, reduzindo custos com a garantia.

      É uma tendência o uso cada vez maior de equipamentos geradores de interferências (inversores), aliada ao uso de equipamentos cada vez mais sensíveis (microcontrolados, clp’s, etc), ou seja, o mercado para o FIEEL é inumerável e a tendência é de crescer vertiginosamente tanto em quantidade como grau de conscientização pela crescente queda na qualidade da energia.

Quais os retornos?

     Aumento na vida útil de máquinas e equipamentos;

     Aumento  na  produção  pela  maior  eficiência das máquinas.

     Proteção  contra  queima  de  motores,  lâmpadas, sistemas eletrônicos, CI`s, placas eletrônicas, etc;

     Eliminação de ruídos em sistemas de comunicação e   transmissão   de   dados,   causados  por   EMI   ou deficiências do aterramento;

     Eliminação de EMI interferências eletromagnéticas,  que provocam interferências em outros equipamentos;

     Eliminação de aquecimentos anormais nos sistemas de   potência   e  desarmamento   de  disjuntores  sem motivos aparentes, causados por correntes parasitas;

     Diminuição ou eliminação de falhas intermitentes de máquinas  ou  constantes  travamentos,   principalmente em  equipamentos  micro processados sensíveis as perturbações.  

Onde deve ser instalado ?

      Recomendamos que sempre seja instalado um condicionador na entrada das instalações, após o medidor. O principal objetivo desde aparelho é a proteção contra descargas atmosféricas.

      Na seqüência devem ser instalados condicionadores próximos a equipamentos sensíveis e geradores de interferências. O ideal é instalarmos um aparelho em cada caixa de distribuição ou painel de comando, desta forma, as interferências são eliminadas independente de sua rota.

      Dependendo das cargas e nível de ruídos em alguns casos recomendamos a instalação de mais de um condicionador por local.

Onde não pode ser instalado?

      O FIEEL não pode ser instalado ou não funcionará com eficiência nos seguintes casos:

 em cargas com grandes distorções e grandes potências como fornos a arco ou alguns tipos de fornos indutivos;

 onde o problema específico são harmônicas e a extensão do cabeamento é curta;

 próximos a capacitores que entram em ressonância e queimam em poucas horas;

 sistemas sem aterramento eficiente acompanhado de transmissões de dados padrões 232 e 485.

Porque não são fabricados condicionadores FIEEL de vários tamanhos?

      Para conseguirmos um melhor rendimento! Por  exemplo, se dobrássemos os valores dos componentes internos teríamos o dobro do rendimento. Porém, evidenciamos que condicionadores instalados próximos, no mesmo barramento conectados a poucos centímetros, possuem um rendimento superior. Isto ocorre porque existe uma impedância (resistência do cabo)  entre os condicionadores, mesmo que pequena afeta a curva de atenuação. Também permite aos condicionadores melhor atuarem em ângulos diferentes da senóide. Para 60Hz o comprimento da senóide é de quilômetros, porém para frequências mais elevadas passa a ser de centímetros ou até milímetros. Por exemplo, distância das hastes numa antena de televisão corresponde ao tamanho da senóide para frequência dos canais.

 

O aterramento é importante?

      Essencial. Existe uma concepção ultrapassada de que aterramento é utilizado para conexão da carcaça dos equipamentos para evitar choques elétricos. Em corrente alternada a função do neutro como do terra é de fornecer elétrons. Todo neutro é aterrado junto ao transformador.

      O aterramento ideal é o de malha, onde várias hastes são enterradas e conectadas entre si. Na prática o que normalmente encontramos em ambientes industriais são hastes enterradas próximas a máquinas quando de sua instalação,  neste caso a única recomendação é fazer a conexão entre as hastes a fim de evitar corrente produzida pela diferença de potencial do solo.

      Em dois casos em especial recomendamos avaliação precisa do sistema de aterramento. Em sistemas com presença de transmissão de dados, devido a utilização do terra como referencia a corrente descarregada pelos condicionadores se não absorvida ocasionará erros de leitura. Outra recomendação é na presença de máquinas geradoras de altas freqüências. Recomendamos que a haste do terra esteja o mais próximo possível do equipamento. Assim, o condutor terra ou neutro não atua como antena poluindo o ar com frequências indesejadas.

      Os distúrbios ao invés de danificar equipamentos se movem através dos condicionadores em direção a haste de aterramento mais próxima, se não houver terra o neutro assumirá esta função podendo ser sobrecarregado.  No caso de descargas atmosféricas, segundo o princípio de que raios se deslocam em direção a terra pelo percurso de menor resistência, temos o filtro como um curto constante indicando o melhor caminho para o raio.

A quanto tempo o Condicionador FIEEL foi desenvolvido e vêm sendo testado?

      Do início do projeto até as patentes serem depositadas, em outubro de 2001, o projeto evoluiu durante três anos, neste período sempre foi testado em campo e laboratório. A partir de 2002 o filtro começou a ser comercializado. Neste período continuamos acompanhando seu funcionamento em grande número de clientes, onde levantamos inúmeros históricos de resultados e satisfações. Em 2008 a terceira patente for depositada o que originou ou modelos H, hibridos.

Como pára-raios de linha, quais as vantagens do FIEEL sobre outros produtos encontrados no mercado?

      Os produtos encontrados no mercado possuem varistores e centelhadores, componentes que com o aumento da tensão provocam o curto da descarga. Ou seja, a sobretensão deve estar presente no sistema para que ocorra o chaveamento. No caso do FIEEL, não ocorre o chaveamento, por ele constantemente descarregar poucos mA, criando a menor resistência entre a descarga e o terra, desta forma o surto presente nas proximidades é induzido em direção ao FIEEL.       Descargas atmosféricas possuem características padrões de frequências, normalmente utilizadas para triangular as posições dos raios ou informar sua proximidade. Assim como num rádio é selecionada uma frequência para ser convertida em áudio, o FIEEL foi projetado para absorver constantemente as frequências dos raios.

Existe proteção total contra descargas atmosféricas?

      Não! Se algum equipamento garantir total eficiência deve ser visto com precauções, indica que os fabricantes tem pouco conhecimento sobre o assunto. A literatura descreve que é muito baixa a probabilidade de uma descarga superior a 10kV percorrer uma linha de transmissão, mesmo assim, ocorre à possibilidade de valores infinitamente superiores. Medições de sobretensões nos EUA e Europa indicam a ocorrência de uma a três descargas superiores a 20kV presentes nas linhas de transmissões entre cada mil.

A eficácia do FIEEL como pára-raios de linha foi avaliada em laboratório?

      Já entramos em contato com os principais laboratórios do país que certificam produtos contra descargas atmosféricas, porém estes laboratórios conseguem simular apenas altas tensões e não estas tensões associadas às freqüências características. Possuímos inúmeros casos, comparações, depoimentos presenciais e históricos de danos que comprovam a atuação do filtro.

O FIEEL consome energia?

      Absorve constantemente poucos mA, preferencialmente de energia reativa que não é considerada consumo, pois atua sobre o fator de potência. Mesmo que muitos filtros sejam instalados num sistema, ou que seja sobre dimensionado, além de filtragem e proteção o consumo do filtro leva a melhora (não correção) do fator de potência.